A contabilidade de uma empresa é cheia de documentos, relatórios e demonstrativos que são importantes para a saúde financeira do negócio. 

Quem é empreendedor, e está por dentro da contabilidade da sua empresa, com certeza já ouviu falar sobre o DRE ou Demonstração do resultado do exercício. 

Entendendo a importância desse demonstrativo, neste artigo vamos nos aprofundar neste assunto. Aqui você irá ver: 

  1. O que é o DRE? 
  2. Qual a importância e para que serve? 
  3. O que não pode faltar no DRE da sua empresa. 

Confira! 

O que é o DRE? 

O demonstrativo ou demonstração do resultado do exercício é um relatório contábil que evidencia se as operações da sua empresa estão gerando lucro ou prejuízo. 

Ele é feito junto ao Balanço Patrimonial, porém são duas coisas diferentes. Tanto um como o outro devem ser assinados por um contador habilitado pelo CRC. 

Este demonstrativo é obrigatório para todas as empresas, com exceção daquelas cadastradas no MEI (Microeempreendedor Individual) e deve ser realizado anualmente. 

Importância do DRE

A importância deste demonstrativo vai muito além de ser mais uma exigência contábil. Através dele a sua empresa terá registrado os dados básicos e essenciais para formação do resultado do exercício.

Ele é considerado um dos relatórios mais importantes, pois com o DRE é possível avaliar a capacidade financeira da sua empresa e a real situação. Inclusive é um relatório utilizado por gestores, possíveis investidores, bancos e também pelo governo. 

O que não pode faltar no seu DRE

Receita de Vendas ou Serviços: É considerado receita toda e qualquer venda realizada pela empresa, seja de produtos ou serviços. 

Receita Líquida: é a receita bruta menos os impostos e deduções.

Custos de Venda ou Serviços: todo o valor investido para comprar e vender a mercadoria que será revendida ou usada para prestar o serviço

Lucro Bruto: é a receita líquida menos os custos.

Despesas: É Tudo aquilo que a empresa gasta mas que não são considerados custos, como conta de luz, internet, aluguel, entre outros.

Lucro Operacional: é lucro bruto menos as despesas.

Receitas e Despesas não Operacionais: quando ocorrem receitas não relacionadas à atividade principal da empresa. 

Receitas e Despesas Financeiras: receitas financeiras são os rendimentos de aplicações e descontos obtidos. Já despesas financeiras são multas e juros pagos por atraso no recolhimento de impostos e fornecedores e despesas bancárias.

Lucro antes do IRPJ e CSLL: é o lucro operacional menos as receitas ou despesas não operacionais e receitas ou despesas financeiras.

IRPJ e CSLL: estes impostos ficam isolados dos demais por incidirem diretamente sobre o lucro das empresas. 

Lucro Líquido do Exercício: É o lucro ou prejuízo apurado após o lançamento de todas as receitas e despesas elencadas acima.

Você empreendedor sabe a diferença entre DRE e Fluxo de Caixa?